20 de out de 2016

Alter Bridge - The Last Hero




Nota: 8,00

O Alter Bridge chega a seu quinto disco de estúdio em doze anos de carreira, The Last Hero dá continuidade a tendência de mudança sonora da banda aos longos dos anos, mesclando o Hard Rock com toques de post grunge as vertentes mais pesadas e horas progressivas do Heavy Metal, essa mistura, já amplamente difundida em AB III e Fortress continua avançando, mas com doses maiores de melodias mais positivas.

Show Me A Leader já abre o disco com todas as características da fase atual do Alter Bridge, andamento up tempo, com Soctt Phillips e Brian Marshall pilotando a cozinha com maestria, e Myles Kennedy e Mark Termonti duelando nas guitarras, refrão esperto e cativante, o clima pesa em The Writing On The Wall, com timbres mais baixos e destaque para as belas linhas vocais, a banda se mostra bem afiada.

Alguns fãs mais puristas vão sentir falta da mistura azeitada de Hard Rock Moderno e grudento com guitarras e melodias emocionantes dos dois primeiros discos, mas isso faz parte da evolução e da transformação dos músicos, entretanto  para matar a saudades dos primeiros anos temos My Champion, que chocou parte do público por se apresentar dos anos iniciais, quem disse que o Alter Bridge é obrigado a seguir uma linha reta em sua sonoridade?

Seguindo adiante temos um momento que poderia estar em Fortress, Posion In Your Veins, é uma canção guiada por guitarras e pela voz marcante de Myles Kennedy,  muitas harmonias de fundo montando a parede sonora e efeitos para todos os lados, não é minha nuance sonora predileta dos caras, mas é interessante perceber as mudanças com o tempo e como exploram um lado progressivo e pesado.

O disco se estende um pouco a mais do que deveria de fato, criando um intervalo entre grandes canções e outras fillers, Cradle To The Grave brilha com e um bom arranjo e levada cadenciada, ainda que imersa em diversos instrumentos atuando como atmosferas para um ambiente caótico, Losing Patience esfria um pouco o clima enquanto This Side Of Fate, mergulha mais efetivamente em um tom progressivo com toques do Muse (como já ocorreu em alguns momentos de Fortress), mas focando em solos de guitarras poderosos de Tremonti.

The Last Hero segue bem, até o final com a ótima faixa título, uma porrada Metal Progressiva com uma ótima atuação de Brain Marshal no baixo acompanhando as guitarras de Tremonti e Kennedy na introdução, o clima épico e melancólico  ganha contornos de  uma tempestade pesada, a atuação da banda é impecável e traz o que o Alter Bridge tem de melhor, ou seja, criatividade e capricho.

Para quem esperava uma revolução sonora, pode ficar um pouco decepcionado, uma vez que estamos diante de um caminho natural de mudança sem perder a essência, o quarteto da Flórida continua firme e forte. Pode conferir sem medo!

The Last Hero (2015)




A Banda

Myles Kennedy (Guitarra, Vocal)
Mark Tremonti (Guitarra e Backing Vocals)
Brian Marshal (Baixo)
Scott Phillips (Bateria)  

Postar um comentário