18 de mar de 2016

Palpites UFC Fight Night 85 - Hunt X Mir



A Austrália é a próxima parada do UFC, com um card recheado de novos nomes buscando mais uma vez uma aproximação com outros mercados, no que tange ao card principal podemos destacar uma luta de veteranos, Frank Mir enfrenta Mark Hunt na divisão dos pesos pesados, uma luta interessante, mas que denota a falta de novos nomes na categoria.


Vamos aos palpites do card principal



Bec Rawlings (6-4) vs. Seo Hee Ham (16-6) => Palpite:Bec Rawlings vence.

James Te Huna (18-8) vs. Steve Bosse (10-2) => Palpite: James Te Huna vence.

Daniel Kelly (10-1) vs. Antonio Carlos Junior (6-1, 1 NC) => Palpite :Antonio Carlos Junior vence.

Jake Matthews (9-1) vs. Johnny Case (22-4) => Palpite: Johnny Case vence.

Neil Magny (17-4) vs. Hector Lombard (34-4-1, 2 NC) => Palpite: Hector Lombard vence.

Mark Hunt (11-10-1) vs. Frank Mir (18-10) => Palpite: Mark Hunt vence.




15 de mar de 2016

Last in Line - Heavy Crown



Nota: 8,5

Quando Vivian Campbell, Jimmy Bain (RIP) e Vinny Appice anunciaram que montariam um projeto em tributo a Ronnie James Dio, o mundo se voltou para eles esperando quem seria o vocalista que participaria de uma série de shows, e Andrew Freeman foi escolhido, ele participou de três turnês com o Lynch Mob, e tocou guitarra ao vivo com o The Offspring  entre outros, e foi muito bem.

Com a formação definida, foram ao estúdio e a mágica da line-up original do Dio falou mais alto e Heavy Crown é um disco excelente, muito bom de ouvir, trazendo de volta um Hard'N Heavy com levadas empolgantes riffs e solos emocionantes e excelentes vocalizações, sim Freeman se destaca ao cantar linhas vocais bem escritas com muita influência do som oitentista.

Vale destacar como é bom ouvir Vivian Campbell tocando um material mais pesado e cru do que executa há muitos anos no Def Leppard, o guitarrista irlandês tem bom gosto, técnica e sabe compor como poucos, falar da cozinha formada por Appice e Bain é dispensável, eles acertam em ditar o ritmo e impor toda a cadência necessária para o estilo.

O material é farto de grandes momentos, a abertura Devil In Me não deixa nada em pé, Andrew Freeman canta versos empolgantes de forma magistral, Martyr é um ode a Stand Up And Shout, e sua pegada up tempo indefectível. Com uma abertura desse porte, toda e qualquer desconfiança é demolida pelo talento dos caras.

A dupla Starmaker e Burn This House Down colocam os pesados riffs em evidência, a influência do mestre Tony Iommi pode ser ouvida, juntamente com o tom melódico dos vocais que remetem aos momentos de Dio no Sabbath, tudo devidamente atualizado com toques mais pesados aqui e ali.

Voltando com o pé no acelerador I Am The Revolution coloca dupla Bain/Appice em primeiro plano martelando nossos ouvidos com um Heavy Metal clássico,  Blame It On Me já avança em direção ao som puxado no Hard Rock atual recheado de grooves e um belo solo de Campbell, a essa altura fica evidente que mesmo após tantos anos esses caras não perderam o entrosamento.

O disco passa rápido, e audição é agradável, In Flames carrega a mão em peso e compassos mais quebrados na bateria de Appice, Already Dead dá continuidade ao abrir uma ponte para o futuro, sem acertadamente soar extremamente saudosista mas preservando o lado melódico que consagrou a formação clássica do Dio.

Ainda temos a ótima faixa título, Heavy Crown pega carona em uma sonoridade que remete a Whitesnake com um acento mais pesado e excelentes linhas vocais de Freeman, grande melodias e um refrão pra lá de empolgante.

Ao fim do disco fica aquela sensação de que o dever foi cumprido e o legado de Ronnie James Dio honrado com louvor, e ainda apontando para um futuro que pode nos presentear com mais momentos como esse. Uma pena Jimmy Bain ter falecido antes do lançamento.

Heavy Crown (2016)



A Banda

Andrew Freeman (Vocal)
Vivian Campbell (Guitarra)
Jimmy Bain (Baixo)
Vinny Appice (Bateria)

11 de mar de 2016

UFC Fight Night 84 e UFC 196 - O preço da arrogância.



Os dois últimos finais de semana foram agitados para o UFC, dois dos maiores astros da organização, do passado temos  Anderson Silva e do presente Conor McGregor, duas figuras controversas, lutadores carismáticos e talentosos que explodiram em popularidade.

Mesmo que em momentos distintos da carreira, Anderson já é consagrado está a pouco tempo de sua aposentadoria, McGregor chegou tomando o UFC de assalto e deu um grande impulso em um momento que a organização precisa de novos ídolos.


Bisping foi guerreiro
Pois bem, ambos cometeram o mesmo erro, subestimar seus adversários com uma postura arrogante, Anderson lutou contra Michael Bisping na Inglaterra e a impressão que nocautearia a todo o momento atormentou os fãs, sem "puxar o gatilho" o brasileiro castigou o inglês que com raça não deixou barato e a todo instante agredia o favorito, levando o ex-campeão a um knockdown no segundo round.

Entretanto com mais volume, Bisping levou a luta (mesmo com um suposto nocaute no terceiro round, com uma joelhada em que Anderson saiu comemorando) e o brasileiro que podia ter vencido em diversos momentos, saiu derrotado.

Já McGregor enfrentou Nate Diaz na categoria dos meio medios, 77 kgs, duas categorias acima do peso, uma vez que estava sem adversário após a lesão de Rafael dos Anjos,  a luta foi franca, McGregor acertou golpes duros e venceu o primeiro round. Diaz aproveitou sua envergadura e resistência, acertou potentes golpes e joelhadas, McGregor derrubou Nate, foi raspado, tomou a montada e finalização por mata-leão, Diaz estragou a festa de McGregor.


Diaz baixou a bola de McGregor

Resultado dos palpites UFC Fight 84 e UFC 196:  4 Acertos ( Tom Breese,  Gerard Mousasi, Corey Anderson, Ilir Latifi, )  5 Erros (Brad Pickett, Michael Bisping, Amanda Nunes, Misha Tate e Nate Diaz Placar Geral: 12 Acertos, 11 Erros => 52% de acerto.

4 de mar de 2016

Palpites UFC 196 - McGregor x Diaz




O que parecia um evento perdido, ou melhor, MAIS um evento perdido por causa de lesões o UFC 196 foi salvo por Nate Diaz, que encara o atual campeão dos penas, Conor McGregor em luta válida no peso de 77 Kgs, vale lembrar que Diaz teve 2 semanas para entrar no páreo, uma vez que a luta seria entre McGregor e Rafael dos Anjos pelos pesos leves, valendo o cinturão que está em poder do brasileiro.

Com tantas polêmicas e problemas o UFC montou um bom card que ainda tem Holy Holm defendendo seu cinturão contra Misha Tate, vale acompanhar!

Vamos aos palpites do card principal

Amanda Nunes (11-4) vs. Valentina Shevchenko (12-1) Palpite => Shevchenko vence.

Corey Anderson (7-1) vs. Tom Lawlor (10-5) Palpite => Corey Anderson vence.

Gian Villante (14-6) vs. Ilir Latifi (11-4) 
Palpite => Ilir Latifi vence.

Holly Holm (c) (10-0) vs. Miesha Tate (17-5) Palpite => Holy Holm vence.

Conor McGregor (19-2) vs. Nate Diaz (18-10) Palpite => Conor McGregor vence.