29 de jan de 2016

Palpites UFC ON FOX 18 - Jonhson x Bader







O UFC começou 2016 com o pé no acelerador, neste sábado vai a New Jersey espantar o inverno com um bom card colocando dois desafiantes do Meio Pesados em rota de colisão, Ryan Bader e Anthony Johnson se enfrentam para disputar um lugar na fila pela disputa de cinturão da divisão, hoje em poder de Daniel Cormier.

O card principal é equilibrado e vale destacar o garoto Sage Northcutt que com 19 anos vem sendo a sensação do UFC e uma grande aposta de Dana White, veremos se a ascensão do novato se confirma.

Vamos aos palpites do card principal

Sage Northcutt (7-0) vs. Bryan Barberena (10-3) => Palpite: Sage Northcutt vence

Iuri Alcantara (32-6, 1 NC) vs. Jimmie Rivera (18-1) 
=> Palpite: Jimmie Rivera vence

Josh Barnett (34-7) vs. Ben Rothwell (35-9) 
=> Palpite: Ben Rothwell vence.

Anthony Johnson (20-5) vs. Ryan Bader (20-4) 
=> Palpite: Anthony Johnson vence.



21 de jan de 2016

UFC Fight Night 81 - A redenção de Dominick Cruz


Confesso que Dominick Cruz era passado para mim nos idos de 2013 e 2014 quando foi praticamente aposentado devido a inúmeras lesões e cirurgias complicadas, após um breve e arrasador retorno em 2014, nova lesão e esse ano veio seu momento de glória.

Não me entendam mal, Dominick Cruz desfrutou de glórias ao ser campeão do WEC e UFC pela primeira vez, mas nada supera sua vitória sobre TJ Dillashaw, uma verdadeira redenção e um show de superação, e essa luta do último sábado foi surpreendente pois, mesmo todos sabendo que Cruz é de fato um lutador melhor que TJ, o tempo de inatividade e a fase do então campeão eram mais favoráveis, entretanto seu espirito vencedor falou, ou melhor rugiu, mais alto.

Foi uma batalha digna de campeões, cinco rounds bem disputados mas a superioridade de movimentação, quedas e precisão de Cruz fizeram a diferença, principalmente nos três primeiros rounds, TJ estava claramente perdido, e um dos únicos acertos foram os poderosos low kicks que minaram a excelente movimentação do adversário nos últimos dois rounds, entretanto, isso foi insuficiente uma vez que a luta só mudaria de lado se Dillashaw conseguisse uma superioridade muito ampla, o que de fato não ocorreu.

Dominick Cruz venceu com justiça e é novamente o campeão peso galo do UFC. Um momento histórico e inspirador!









No Co Main Event Eddie Alvarez bateu Anthony Pettis em um combate morno, ao meu ver Pettis foi mais efetivo nos golpes, mas Alvarez dominou ações amarrando a luta e expondo o maior defeito do ex-campeão dos leves, o jogo de grappling. De fato esperava mais dessa luta.


Resultado dos palpites  UFC Fight Night 81: 1 Acerto ( Travis Browne) 3 Erros ( Trinaldo, Alvarez e Dominick Cruz) Placar Geral: 1 Acerto, 3 Erros 


16 de jan de 2016

Palpites UFC Fight Night 81 - Dillashaw x Cruz




Domingo também é dia de UFC com direito a disputa de cinturão dos pesos galos, Tj Dillashaw defende seu cinturão contra o ex-campeão Dominick Cruz, que vem sendo assombrado por lesões desde que foi obrigado a ceder o título em 2013, Cruz retornou bem em 2014, venceu e se machucou de novo.

Difícil apostar contra TJ diante de tanta inatividade por parte de Cruz, que mesmo sendo melhor lutador que o campeão terá que vencer a si mesmo para retomar seu cinturão, a luta ganha contornos interessantes nesse contexto.

No Co main event Eddie Alvarez(ex -campeão peso leve do Bellator e Strikeforce) encara Anthony Pettis (ex-campeão peso leve do WEC e do UFC) esse combate promete e tem tudo para ser uma das melhores lutas da noite.

Vamos aos palpites do card principal.


Ross Pearson (20-9, 1 NC) vs. Francisco Trinaldo (18-4) => Palpite: Pearson vence.


Travis Browne (17-3-1) vs. Matt Mitrione (9-4) => Palpite: Browne vence.


Anthony Pettis (18-3) vs. Eddie Alvarez (26-4) => Palpite: Pettis vence.

TJ Dillashaw (c) (12-2) vs. Dominick Cruz (20-1) => Palpite: Dillashaw vence.


14 de jan de 2016

Its Electric Recomenda: Discos Para Curtir #6

Chegamos em 2016 com mais uma seleção de discos para você curtir, redescobrir, conhecer e renovar suas playlists, e as primeiras recomendações vem em meio a muitas perdas no cenário musical, sim uma geração inteira está indo embora, Lemmy Kilmster, David Bowie e Scott Weiland, o último mais jovem, para cita dos mais recentes.

Mas apesar das perdas o Rock e suas vertentes tem uma incrível capacidade de se renovar, e selecionei alguns ótimos trabalhos com foco nesta década atual e priorizando nomes ainda não tão grandes por aqui em uma lista bastante eclética dentro do possível.
Aproveitem!


Volbeat - Beyond Hell/Above Heaven (2010)




Os Dinamarqueses do Volbeat, liderados pelo talentoso vocalista e guitarrista Michael Polsen,  são quase veteranos, mas a explosão da banda se deu em 2010 com Beyond Hell/Above Heaven e o Hit Heaven Nor Hell, o mais legal dos caras é o ecletismo, soando hora pesado, agressivo e veloz ou melodioso cheio de riffs e ótimos refrões. Uma grande banda que está crescendo e tem tudo para conquistar ainda mais fãs. Destaques: The Mirror And The Ripper, Heaven Nor Hell e 7 Shots


Black Stone Cherry -  Between The Devil & The Deep Blue Sea (2011)




A mistura de Hard Rock com Southern Rock é a grande qualidade dos caras, uma banda afiada capaz de compor músicas cativantes mostrando que mesmo sem inovar é possível ter personalidade e estilo próprio, a dupla de guitarras Chris Robertson  que também faz os vocais e Ben Wells é o elo mais forte da corrente. Esse disco é um dos mais legais dos caras mostrando uma variada gama de influências e grandes canções para cantar junto. Destaques: Killing Floor, Blame, Such a Shame e It On The Boom Boom


Five Finger Death Punch - Got Your Six (2015)




Um dos nomes mais populares da nova safra do Metal Americano, o FFDP se coloca como uma banda que alia peso e brutalidade com momentos de muitas melodias e arranjos elaborados, similar ao Stone Sour. A mistura agrada. Got Your Six é poderoso e grudento, confiram sem medo. Destaques: Got Your Six, Jekyll And Hyde e This Is My War


Vintage Trouble - 1 Hopeful Rd (2015)





Já citei os caras na lista dos melhores de 2015, mas vale mais uma menção a essa grande banda que ocupa uma lacuna um pouco esquecida, se aventurando entre o Soul, o Pop e o Rock, o Vintage Trouble não tem compromisso com com nada além da boa música. Um dos melhores nomes da nova safra. Destaques: Run Like The River, Angel City, California, e Shows What You Know


5 de jan de 2016

Os 20 maiores campeões do UFC




Estamos perto do UFC 200, um marco histórico para a maior e mais importante organização de Vale Tudo/MMA do mundo, a edição é emblemática e tende a ser histórica. 

(Vale lembrar que a numeração leva em conta os eventos grandes, as edições como UFC ON FOX, UFC Fight Night e TUF Finale não contam uma vez que foram criados graças ao crescimento do plantel de lutadores que precisam estar em atividade.) 

Para comemorar esse marco, elaborei a lista com os 20 maiores campeões do UFC desde sua criação em 1994 por Rorion Gracie até o inicio de 2016 com a última defesa de cinturão de Robbie Lawler na edição 195.

Os critérios que utilizei levam em conta aspectos técnicos, legado para a modalidade e os combates em si, ressalto que os campeões dos antigos torneios foram incluídos na lista.


#20 - Frank Shamrock  (Peso Médio)



Vindo do Pancrease Japonês, o caçula dos Shamrock (irmão de criação de Ken) assombrou o fim dos anos 90 com um estilo refinado que combinava boa trocação, quedas plásticas e um jogo afiado no chão. 


#19 - Murilo Bustamante  (Peso Médio)  



O pupilo de Carlson Gracie e fundador da Brazilian Top Team é um dos maiores lutadores da história do Vale Tudo/MMA, dotado de um Jiu Jitsu fino e eficiente combinado com um boxe solto e preciso, Bustamante defendeu seu cinturão contra Matt Lindland, medalhista olímpico, e teve que finaliza-lo duas vezes graças a um erro do árbitro. Se não fosse para o Pride em 2002 seria um dos maiores campeões pesos médios da história do UFC.


#18- Mark Coleman (Peso Pesado)



Quando se fala em supremacia dos Wrestlers, ground and pound o primeiro nome dessa era é Mark Coleman, postulante a atleta olímpico, o Wrestler se consagrou e assombrou o Vale Tudo que era dominado pelo Jiu Jitsu, fisicamente muito forte, veloz e com um jogo de quedas excelentes, Coleman se consagrou campeão em uma época selvagem com poucas regras.


#17 - Frank Mir (Peso Pesado)



Não existe lutador que mais quebrou e apagou oponentes em suas finalizações do que Frank Mir, Roberto Traven, Tim Sylvia, Anthony Hardonk,Cheick Congo,  Rodrigo Minotauro que o digam. Mir tomou o cinturão de Sylvia em 2004, sofreu um acidente de moto e quase morreu, voltou e aos poucos chegou ao topo ao vencer Minotauro e levar o cinturão interno dos pesos pesados em 2008.


#16 -Fabricio Werdum (Peso Pesado)



Werdum é uma lenda dos pesos pesados, venceu Fedor Emelianenko no Strikeforce, Bateu Rodrigo Minotauro , ganhou o cinturão interino contra Mark Hunt e principalmente, deu uma senhora surra em Cain Velasquez em Junho de 2015 com esse retrospecto, o Vai Cavalo já se consolidou, veremos se consegue emplacar mais defesas da cinta.



#15 - Ronda Rousey (Peso pena feminino)



Ronda Rousey abriu o mercado para o MMA feminino, a Judoca atropelou adversárias e finalizou suas oponentes sem grandes esforços, utilizando a combinação de bonitas quedas com chaves de braço, e posteriormente com nocautes. Até Holly Holm aparecer e destronar a então invicta campeã. Mesmo com a derrota, Ronda é um marco do MMA.



#14 - Chris Weidman (Peso Médio)



Weidman sempre foi visto como uma promessa do UFC até enfrentar e vencer Anderson Silva por duas vezes, ao chocar o mundo, o All American, ainda derrotou Lyoto Machida e Vitor Belfort defendendo seu cinturão por 3 vezes. Apesar da recente derrota para Luke Rockhold, Weidman ainda tem muito para mostrar, habilidoso, raçudo e persistente, o Wrestler pode voltar ao ouro no futuro.


#13 - Tito Ortiz (Peso Meio Pesado)




Ele foi durante muitos anos o pôster boy do UFC, ao fomentar uma rivalidade com Chuck Liddel, Ortiz vendeu muito bem o MMA e fez a modalidade viável nos Estados Unidos, lembrando que na época o Pride dominava amplamente. Tito marcou toda uma geração e defendeu seu cinturão com muita pompa e estilo.


#12 - Marco Ruas (Sem categoria de Peso)



Ruas criou o que conhecemos de MMA, ao combinar socos, chutes, com quedas e finalizações, Marco varreu o mundo do Vale Tudo mostrando versatilidade e inteligência, venceu o torneio no UFC 7, e se consagrou.


#11 - Vitor Belfort ( Peso Pesado e Meio Pesado)


Vitor Belfort despontou muito cedo, e aos 19 anos já ganharia o mundo sagrando-se campeão peso pesado do UFC. Pupilo de Carlson Gracie ficou marcado pelos punhos rápidos e sua incrível capacidade de nocautear oponentes. Ainda ganhou o título dos Meio Pesados em 2004, ainda na ativa, o Fenômeno está em boa forma, é o lutador com maior número de nocautes na história do UFC.



#10 - Robbie Lawler (Peso Meio Médio)



Lawler é o maior exemplo de redenção dentro do MMA, estreou no UFC com 21 anos em 2002, foi considerado promessa até ser assombrado por lesões e uma fase irregular durante alguns anosno Strikeforce. Ao retornar ao UFC usou seus punhos pesados e golpes explosivos para se consagrar campeão dos pesos meio médios. Lawler é a prova de que nada é impossível.



#9 - BJ Penn (Peso Leve)



BJ Penn poderia estar facilmente no top 5 se fosse além de um guerreiro, atleta exemplar, talento, fúria e precisão nunca lhe faltaram, mas uma certa displicência com a parte física custou ao Prodigio algumas derrotas. Porém seu legado e talento são indiscutíveis, Jiu Jitsu fino e um boxe invejável.Foi campeão nos pesos meio médio e leve.


#8- Chuck Liddel (Peso Meio Pesado)



O Iceman fez história quando o UFC ainda penava com a concorrência pesada do Pride, Chuck foi o símbolo no MMA americano e virou referência pelo seu jogo de trocação afiado e golpes certeiros, além de ser difícil de ser derrubado. Liddel sempre será um ícone do UFC.


#7- Randy Couture (Peso Meio Pesado e Peso Pesado)


A história de Randy Costure é curiosa, começou no Vale Tudo aos 34 anos e ao bater o então favorito Vitor Belfort de 19, se consagrou ganhando o título dos pesados pela primeira vez. Wrestler clássico e estrategista Couture marcou época e acumulou vitórias sendo campeão mais duas vezes no peso pesado e uma vez no peso meio pesado. Mais um símbolo do MMA americano.


#6 - Matt Hughes (Peso meio médio)




O primeiro campeão do UFC a estabelecer, de fato, uma dinastia, com cinco defesas de cinturão calcado em um jogo pragmático, Hughes é um wrestler clássico que aos poucos foi evoluindo e incorporou um razoável jogo de chão. Entretanto sua maior qualidade foi a vontade inabalável.


#5 - Royce Gracie (Sem categoria de Peso)



Royce representou a dinastia Gracie para provar a eficiência do Jiu Jitsu e sua função vital em um combate de poucas regras. Vencedor das edições 1,2 e 4 Royce é o lutador mais importante da história do Vale Tudo dos anos 90 em diante.


#4 - José Aldo (Peso Pena)




Um dos maiores nomes do MMA mundial, José Aldo ficou 10 anos sem perder um combate e desde que conquistou o cinturão do WEC (evento o qual o UFC comprou e anexou) foi limpando a categoria e estendeu seu reinado até dezembro quando perdeu para Connor McGregor. Aldo devastou uma categoria inteira com suas combinações e jogo completo, agora busca redenção.


#3 - Georges St Pierre (Peso Meio Médio)



O Canadense foi chamado de amarrão e já angariava uma legião de detratores antes de se aposentar, mas é inegável a eficiência de St Pierre, 8 defesas e sempre dominante, ele conseguia mesclar Boxe, Westling, Karate, Jiu Jitsu como poucos, fazendo de seu jogo um dos mais completos do MMA.



#2 - Jon Jones (Peso Meio Pesado)



Jon Jones varreu a divisão dos meio pesados, bateu Shogun, Rampage, Machida, Rashad Evans, Gustafson, Cormier, Ryan Bader, Vitor Belfort e só perdeu para si mesmo se afundando em vícios e outras presepadas. O melhor wrestler do UFC continua imbatível e promete voltar ao topo. De qualquer forma, dificilmente alguém repetirá seus feitos.



#1 - Anderson Silva (Peso Médio)



O mais talentoso lutador do MMA, o Spider levou o esporte a outro nível com 10 defesas consecutivas, nocautes espetaculares e finalizações improváveis fazem dele o maior de todos os tempos, além do título dos pesos médios, Anderson fez 3 lutas na categoria dos Meio Pesados e venceu as 3 por nocaute, com menção honrosa a surra humilhante em Forrest Griffin (ex-campeão Meio Pesado do UFC), em sua melhor apresentação da carreira.

Para quem quiser saber mais sobre os campeões do UFC, clique neste artigo da wikipedia, excelente por sinal