25 de fev de 2009

Tempos de Mudança parte II

Ontem postei um pequeno briefing das mudanças no mercado fonográfico ao longo da era digital dos downloads e compartilhamento de arquivos na Internet, e aproveitando os pontos levantados farei uma reflexão do atual momento, e do que é bom ou ruim dentro desse cenário que já pode ser considerado como um novo paradigma.


Algumas questões importantes

  • O quanto isso é bom?
    As mudanças são importantes para o desenvolvimento social e economico de uma soceidade, mesmo com impactos nocivos a alguns setores. As Grandes Gravadoras ditaram por mais de 30 anos o ritmo do mercado, e manipularam o que era ou não tendência de mercado. Felizmente isso está acabando, quem ganha é a música.

  • Será que sempre pagamos um preço justo pelo CD/DVD?
    Não, isso é fato, o custo de fabricação de um CD/DVD mais seu custo de produção (estúdios, produtores, promoção e arte e outros) não justificam o preço ao consumidor final, e isso fica mais evidente quando o mercado americano compra carros a 15.000 dólares e cds a 15,00 dólares, é proporcionalmente MUITO mais caro, por um produto bem simples.

  • Se as majors fecharem, quantas pessoas perderão seus empregos?
    Muitas, e isso não é bom, enfraquece a cultura e teremos mais subempregos, ainda mais em tempos de crise, como vivemos e vamos viver nos próximos 2 anos.

  • O Jabá, modismos e cultura descartável, o famoso Pay to Play, contrinbuiram com a queda do mercado?
    Sim, definitivamente, a cultura do Jabá, acabou com os novos talentos, só exisxtiu divulgação de artistas de nichos, merchandising e novos modismos, as grandes gravadoras queriam dinheiro rápido, só nos anos 90 tivemos mais de 3 ciclos de moda em menos de 10 anos, foi tão rídiculo que muitos bons artistas tiveram que se adaptar a essa cultura de capitalismo selvagem. Com a troca de arquivos isso acabou, o consumidor vai procurar o que quer, aonde quer, a informação está bem diante de seus olhos.

  • Doar os "Donativos"aos sites de distribuição é realmente lutar contra o sistema? ou vamos alimentar a mesma coisa, só trocando o nome das pessoas?
    Partircularfmente sou contra donativos para os sites, isso é um absurdo, o dinheiro tem que ser dado ao ARTISTA e produtor, esses novos paladinos que lutam contra as majors adoram pedir dinheiro ao público para "manter suas atividades" isso só transfere o problema. Estamos trocando os nomes das pessoas, quem merece dinheiro, fama, sucesso é quem faz a música, produz o disco, faz shows, capas, não as gravadoras ou mantendedores de sites de trocas.

  • As Majors foram fundamentais para grande parte do surgimento/popularização de grandes ícones da música, se acabarem como ficaram os novos artistas?
    As Majors foram como consultores das bandas, indicando como os artistas deveriam tocar seus negócios e onde deveriam se apresentar e divulgar seu trabalho. Se todas as grandes gravadoras sumirem, é fundamental que o artista seja empreendedor, inventivo e tenha boa noção de tocar seus negócios. Boa oportunidade para gravadoras independentes, que podem ser grandes agencias de bandas.

  • Indepêndencia, liberdade artistica e contato direto com os fãs certamente acabarão com grandes esquemas publicitários, a música vai ser feita de artista para fã.
    Talvez o melhor ponto de toda essa mudança, eu não aguento mais ver e ouvir o direcionamento que as gravadoras e alguns veículos de mídia empurram ao público, você tem que saber o que compra, e pagar um preço justo, sem intermediários sem custos de grandes golpes publicitários.

  • Para que pagar se posso ter de graça? As bandas também precisam vender discos para pagar os estúdios e etc... Quem vai pagar por isso?
    Dois aspectos importantes: É muito bom conhecer um produto antes de comprar, força a ciratividade, os artistas terão que buscar novos caminhos e trabalhar suas composições, convencer o cliente a comprar. Porém, outro aspecto importante, os fãs DEVEM pagar pela música, um preço justo, mas que faça o artista ter condições de gravar algo com qualiade e viver de seu oficio, afinal U$ 5,00 não mata ninguém. Portanto comprem por um preço justo.

  • Quem ganha e quem perde com tudo isso?
    As gravadoras perderam, os artistas e os fãs podem ganhar e muito em conteúdo e em dinheiro, basta ter um "acordo"entre fãs e artistas. As gravadoras independentes podem aproveitar e sair como grande vencedoras se souberem explorar bem o mercado, sem cometer os erros de seus gigantes concorrentes do passado.

24 de fev de 2009

Tempos de Mudança parte I

O que acontece quando o consumidor pode mudar o curso das corporações, o quanto uma pessoa insatisfeita com o atual paradigma pode fazer para mudar as regras do jogo?


O surgimento da Internet e o advento da banda larga afetou todo o curso da história da humanidade, vivenciamos isso todos os dias, noticias do mundo inteiro se alastram pelos Feeds, Portais e Blogs numa velocidade nunca antes imaginada pelo homem em meados do século passado.

Pois bem, o avanço da tecnologia alterou nossa forma de pensar e agir, de enxergar o mundo, e isso alterou basicamente todo o paradigma do papel e da influência do cidadão na sociedade global. Partircularmente um debate vem tomando as atenções de diversos setores da sociedade, o direito autoral no mercado de produção cultural, ou seja, mercado fonográfico e cinematográfico.

O avanço da tecnologia permitiu que os consumidores pudessem reproduzir, copiar os produtos com facilidade e baixo custo, converter para formatos enxutos e trocar esses arquivos com quaisquer pessoa ao redor do globo, algo impensável a duas décadas atrás.

Especificamente no mercado fonográfico as trocas sempre foram comuns, copiava-se os discos de vinyl em fitas K7 e trocavam entre fãs de artista um genêro musical, entretanto era algo localizado, num mesmo bairro ou vizinhança, jamais em aspectos globais.

O surgimento das mídias compactas (CDS, DVDS) e seus respectivos reprodutores de baixo custo, permitiram que o consumidor tivesse mais controle sobre o produto, podendo copiar, converter e distribuir isso ao redor do mundo, através da Internet.

O grande vilão das Majors? O MP3, formato de menor qualidade, porém pequeno, fácil de ser trocado em sites e programas de Peer 2 Peer (programas de troca de arquivos). Basicamente copiava-se o conteúdo do CD convertia em Mp3 com 1/3 do espaço em Megabytes, e poderia escutar em seu computador sem o uso da mídia fisica.

Então surgiu, o Ipod e mais uma leva de MP3 players, conexões de banda larga, e a troca de arquivos devorou o lucrativo império da industria fonográfica...Lojas virtuais de downloads legalizados como a iTunes, se aproveitou disso e fatura milhões de dólares vendendo MP3 e outros arquivos.

Algumas questões importantes

  • O quanto isso é bom?

  • Será que sempre pagamos um preço justo pelo CD/DVD?

  • Se as majors fecharem, quantas pessoas perderão seus empregos?

  • O Jabá, modismos e cultura descartável, o famoso Pay to Play, contrinbuiram com a queda do mercado?

  • Doar os "Donativos"aos sites de distribuição é realmente lutar contra o sistema? ou vamos alimentar a mesma coisa, só trocando o nome das pessoas?

  • As Majors foram fundamentais para grande parte do surgimento/popularização de grandes ícones da música, se acabarem como ficaram os novos artistas?

  • Indepêndencia, liberdade artistica e contato direto com os fãs certamente acabarão com grandes esquemas publicitários, a música vai ser feita de artista para fã.

  • Para que pagar se posso ter de graça? As bandas também precisam vender discos para pagar os estúdios e etc... Quem vai pagar por isso?

  • Quem ganha e quem perde com tudo isso?
Amanha tentarei expor minha visão sobre tudo isso,

Um bom artigo sobre o Pirate Bay: http://www.nme.com/blog/index.php?blog=123&p=5772&more=1&c=1&tb=1&pb=1#more5772


O Whiplash disponibilizou esse interessante artigo em português http://whiplash.net/materias/news_878/084749.html

23 de fev de 2009

Carnaval sem folia e desfile, um alívio :)

A grande vilã da sociedade é o melhor remédio contra o carnaval, sim ela a Internet, causadora das maiores discussões e dualidades que a humanidade se deparou em anos! Sem contar a salvadora TV por assinatura, uma bela fulga da folia.

Fico feliz de ver como o advento da banda larga e a interação com a tv paga consegue salvar quem não está nem aí para a folia!! Um alivio! Desfiles, hits do ano carnavalesco e etc sequer chegaram aos meus ouvidos!

Enquanto isso, o que rola por aqui? Queensryche, e algumas faixas que vazaram de American Soldier, e um Pouco do Hammerfall, banda a qual perdi o laço de fã, e ouço como diversão sem compromisso...

Um adendo importante

Aproveitei o tal carnaval para ler alguns artigos sobre a batalha das gravadoras e os downloads um tema polêmico, que merece reflexão... Vou caçar mais alguns artigos e postarei algumas opinões, provavelmente amanha.
Acho que o debate do direito autoral é um dos mais tênues que a nossa sociedade viveu no século XXI.

21 de fev de 2009

Expectativas Musicais de 2009

Apesar de estarmos no final de fevereiro de 2009, o ano musical começa mesmo agora em Março, o chamado inicio do ano fiscal, quando so lançamentos começam a brotar por todos os cantos.

As expectativas de 2009 talvez sejam menores que no ano passado quando nomes como dos emergentes e dinossauros do rock anunciavam seus lançamentos, nessa leva Coldplay, Oasis, Guns N Roses, Nine Inch Nails, Metallica, AC/DC, Judas Priest e outros anunciavam seus novos álbuns, fazendo um ano bem agitado, já neste ano temos grandes lançamentos, mas menos expectativas e hesteria.

Minhas apostas

  • U2 - No Line on The Horizon - Tudo que o U2 lança causa certa agitação no mercado, são gigantes da cultura pop.
  • Megadeth - Em estúdio, sempre relevante!
  • Queensryche - American Soldier vem ai cercado de polêmicas, e com um punhado de boas idéias..mas com a banda em situação estranha já que muitos membros externos colaboraram com o novo álbum.
  • Dream Theater - Promete um álbum épico e grandioso...
  • Pearl Jam - Anunciou que pode aparecer novidades em breve com um novo álbum de estúdio.
E por ai vai, vamos aguardar mais anúncios e novidades, pouco glamour, mas muita música vai aparecer para nós amantes do rock 'n roll em geral!

14 de fev de 2009

Ocupado!!

Opa, voltando à ativa!

Os dias poderiam ter mais horas hein? tanta correria contra o relógio que não tive tempo para bolar posts e postar no blog...

Ando ouvindo bastante Place Vendome, Disturbed, Dream Theater entre outros...

E na expectativa sobre American Soldier o novo álbum do Queensryche, que vem recheado de polêmicas, desde seu foco (os soldados americanos e suas guerras) até a concepção e execução deste, já que MIke Stone saiu fora, e existem contribuições de não membros da banda na composição... veremos, estou no aguardo...

Em breve colocarei algum novo review